Destaques,  igreja perseguida

Mulher cristã é apedrejada até a morte por terroristas na Síria

Uma mulher cristã armênia que vivia na cidade de Idlib, na Síria, foi apedrejada até a morte após nove horas de tortura. Seu corpo foi encontrado na terça-feira (9) da semana passada.

A autópsia revelou que Suzan Der Kirkour, de 60 anos, foi torturada e estuprada repetidamente desde a tarde de segunda (8) até a manhã de terça, ao longo de um período estimado de nove horas. Em seguida, ela foi apedrejada até a morte.

O incidente foi confirmado pela organização francesa SOS Chrétiens d’Orient, que escreveu em um comunicado que o ataque foi feito pelos jihadistas da Frente Al-Nusra.

“Como um mártir, Suzan se une no céu com milhares de irmãos cristãos, que morreram na arena da barbárie”, disse a SOS Chrétiens d’Orient.

Suzan era jardineira e professora de árabe. Mesmo aposentada, ela se oferecia muitas vezes na Igreja da Vila Kneye, onde ajudava jovens a conseguirem seu bacharelado. A igreja estava preocupado com a ausência de Suzan, foi quando paroquianos encontraram seu corpo fora de sua aldeia, Al-Yaqoubiyeh.

O Observatório Sírio de Direitos Humanos também comentou o incidente. “Seu corpo foi encontrado com marcas de tortura e, de acordo com a medicina forense, a mulher tinha sido torturado por cerca de 9 horas antes de ser apedrejada até a morte por pessoas não identificadas”, afirma o relatório.

Entre os habitantes locais, a informação é de que o ataque contra Suzan foi feito por membros da Al-Nusra, que mantém uma forte presença em Idlib. Al-Yaqoubiyeh é uma aldeia cristã, mas a maioria das mulheres saíram da região por causa dos terroristas. Alguns estimam que apenas 18 mulheres, incluindo Suzan, viviam na aldeia.

“Suzan era um pilar em sua comunidade. Sua morte prematura e a forma de seu assassinato é horrível. Isso aprofunda ainda mais a sombra que ficou sobre quaisquer cristãos que permaneceram na Síria, ao longo de quase uma década de conflitos violentos”, disse Claire Evans, gerente regional da International Christian Concern para o Oriente Médio.

A guerra civil na Síria se desencadeou por oito anos, abrindo portas para o extremismo islâmico. A Frente Al-Nusra — o ramo sírio da Al-Qaeda — e muitos outros grupos terroristas são ativos em Idlib. A maioria dos cristãos fugiram do país, embora fossem aproximadamente 10% da população antes da guerra.

“O Estado de direito, a justiça e a responsabilidade devem ser restaurados na Síria. Caso contrário, nós seremos testemunha do lento, mas feroz extermínio do cristianismo em um país onde ele já existe há mais de 2.000 anos”, acrescenta Evans.

Fonte: Guia-me com informações de International Christian Concern

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.