gospel,  Jesus,  livramento,  Missões / Ação Social,  oriente médio,  sonho,  testemunho

Pastor é libertado da prisão após juiz de tribunal islâmico sonhar com Jesus


Pastor é libertado da prisão após juiz de tribunal islâmico sonhar com Jesus

Um pastor que estava prestes a ser executado por renunciar o Islã teve a sentença alterada, depois que o juiz do tribunal islâmico teve um sonho impactante com Jesus Cristo.

O pastor M*, casado e pai de dois meninos, de 4 e 6 anos, trabalha incansavelmente para o fortalecimento da igreja clandestina em uma nação altamente restritiva no Oriente Médio

De acordo com o ministério Bibles for Mideast, há duas semanas ele foi detido em uma emboscada da polícia religiosa islâmica que, depois de espancá-lo, o levou a um tribunal islâmico.

Quando foi questionado pelo juiz por que ele havia deixado o Isã para se tornar um pastor cristão, ele respondeu: “Eu era um pecador e tinha vários problemas. Também contraí uma doença grave e me tornei um moribundo. Mas o Senhor Jesus Cristo salvou minha vida”.

O tribunal ordenou que o pastor ficasse preso por 15 dias. Caso voltasse ao islamismo, ele ficaria preso por mais dois anos e depois estaria a serviço das autoridades religiosas em sua luta contra o cristianismo. Se ele não renunciasse ao cristianismo, ele seria decapitado. 

O pastor recusou a oferta e foi mandado para a prisão para aguardar a execução.

Batalha familiar

O juiz do tribunal, que também permanece em anonimato, perdeu no ano passado o filho mais velho, aos 21 anos, devido a um câncer de testículo. Agora seu segundo filho enfrentava o mesmo diagnóstico.

Uma semana depois da sentença do pastor, o juiz acordou no meio da noite com uma voz que dizia: “Liberte o pastor da prisão e peça que ele ore por seu filho, para que ele seja curado”. Sem gostar do que ouviu, o magistrado ignorou o pedido.

No dia seguinte, estado de saúde de seu filho se agravou ainda mais. Naquela noite, o juiz sonhou com uma bola de luz que se dirigia em sua direção. As palavras pareciam fluir da luz, à medida que se aproximava: “Liberte meu servo da prisão e peça que ele ore por seu filho. Com suas orações, ele pode ser curado”.

Confuso, o juiz supôs que era a voz de satanás tentando desorientar sua fé no Islã. Até que, na terceira noite, ele teve um sonho que deixou a experiência mais nítida. 

“Eu sou Jesus, o Filho do Altíssimo”, proclamou o homem de branco no sonho. “Eu morri na cruz e agora vivo para sempre [os muçulmanos acreditam que Jesus foi ressuscitado por Deus, mas não acreditam em sua crucificação]. Você está perseguindo desnecessariamente meu servo! Liberte ele da prisão e seu filho será curado. Me aceite como seu Senhor e Salvador. Esta é a única maneira pela qual você e sua família podem ser salvos do inferno”.

O juiz levantou-se da cama ao som de seu filho gritando de dor. Correndo para o quarto, ele viu sua esposa e outras filhas de pé, chorando ao lado da cama. Ele contou sobre seu sonho e, no mesmo instante, sua esposa e filhas imploraram que ele libertasse o pastor e pedisse uma oração pelo menino.

Liberdade em Cristo

Quando os oficiais da prisão receberam a ordem inesperada do juiz, eles imediatamente libertaram o pastor e o mandaram para a casa da família. O pastor foi levado ao quarto do jovem e começou a explicar sobre a vida, morte e ressurreição de Jesus.

Depois de ouvir o Evangelho, o jovem doente se entregou a Cristo, bem como sua família. O menino pulou da cama e começou a dançar, agradecendo a Jesus por sua cura completa.

No dia seguinte, o juiz levou o pastor de volta ao tribunal, desta vez para libertá-lo de acordo com a lei da Sharia. Nos três dias seguintes, o pastor permaneceu na casa do magistrado, orando, jejuando, ensinando a Bíblia e preparando os novos crentes para o batismo. No quarto dia, toda a família foi batizada. 

Enquanto isso, a igreja do pastor sabia apenas que ele havia sido espancado e levado embora. Eles não tinham notícias desde seu desaparecimento, então se uniram em jejum e oração.

A certa altura, sua esposa — sobrecarregada com a tensão da oração contínua — ficou doente. Ela foi levada para o hospital e soube que estava grávida do terceiro filho do casal. Ela permanece no hospital, se recuperando, mas com o marido agora ao seu lado. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.